Acupuntura - Tratamento Complementar da úlcera Crônica



A insuficiência venosa crônica (IVC) é a causa mais comum das úlceras de perna. É definida como uma anormalidade do funcionamento do sistema venoso causada por uma incompetência valvular, associada a hipertensão venosa com ou sem obstrução do fluxo venoso, que pode afetar o sistema venoso superficial, profundo ou ambos. Comum o surgimento na população adulta. Quando não manejadas adequadamente, as úlceras venosas têm altas taxas de falha de cicatrização e recorrência.

Fisiopatologia: Úlceras venosas geralmente ocorrem quando as válvulas das veias das pernas estão danificadas e o fluxo sanguíneo, que deveria ocorrer das veias superficiais para as veias profundas, passa a fluir sem direção ocasionando hipertensão venosa, fazendo com que os capilares se tornem mais permeáveis propiciando que macromoléculas, como fibrinogênio, hemácias e plaquetas, passem para o espaço extra vascular.


Este evento causa alterações cutâneas como edema, eczema, hiperpigmentação e lipodermatoesclerose, fazendo com que a pele fique mais sensível e propícia ao surgimento de uma lesão.



Principal causa de úlcera crônica de MMII: são as doenças venosas e arteriais.


Fatores de risco são:

  • Veias varicosas;

  • Quadros anteriores de trombose venosa profunda na perna afetada;

  • Flebite na perna afetada;

  • Fratura, trauma ou cirurgia anterior;

  • Histórico familiar de doenças venosas;

  • Sintomas de insuficiência venosa: dor na perna, sensação de pernas pesadas, pernas doridas, comichão, inchaço, lesões na pele, pigmentação e eczema.


Tratamento Clínico: consiste na realização do curativo, terapia compressiva, prescrição de dieta que favoreça a cicatrização, orientações quanto à importância de repouso e do uso de meias de compressão após a cura da ferida.


Prevenção e orientações ao paciente:

• Repouso com elevação dos membros inferiores, pois facilita o retorno venoso. Os pés devem permanecer elevados pelo menos a 30 graus. Deve ser orientado com moderação em pacientes idosos, uma vez que pode afetar a mobilidade.

• O uso de meias de compressão é aconselhável para prevenir o edema e melhorar o efeito da bomba muscular, conforme avaliação e prescrição médica;

• A caminhada e exercícios de elevar o calcanhar ocasionam flexão e contração dos músculos da panturrilha. Estes são necessários para a manutenção da bomba muscular;

• Cuidados com a pele: a pele do membro afetado tende a ser descamativa e apresentar dermatite, por isso é necessária cautela na escolha do produto. Os cremes ou loções com fragrâncias ou corantes devem ser descartados. Um emoliente suave deve ser a opção.

• Reduzir o peso corporal;

• Realizar avaliação clínica periódica, para pesquisa de anemia, desnutrição, hipertensão e insuficiência cardíaca;

• Evitar traumas nos membros inferiores.


Orientações Importantes para evitar recidiva:

1. Utilizar as meias compressivas e

2. Adequada intervenção cirúrgica para correção da anormalidade venosa (caso houver indicação).

3. Os portadores de úlcera venosa necessitam de atendimento por equipe multidisciplinar – cirurgiões vasculares, dermatologistas, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, entre outros, que devem prestar assistência de modo conjunto e integrado, com objetivo de melhorar a abordagem e favorecer a relação custo/efetividade.



Tratamento complementar na visão da

Medicina Tradicional Chinesa – Acupuntura

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), as varizes se formam porque o sangue (Xue) tem dificuldade em circular no vaso e se acumula, causando assim dilatações. Esse tipo de acúmulo se dá por duas razões diferentes.

  • Primeira razão, ocorre com o acúmulo de sangue, resultante de um processo longo de estagnação de Qi e sangue nos vasos. Isso é visto em pessoas que ficam longo tempo trabalhando em pé, sem descansar. O trabalho excessivo e a posição desfavorável dificultam a circulação do sangue que vai se acumulando nas pernas.

  • Segunda razão, ocorre em pessoas predispostas a varizes. Essas têm fraquezas do Qi do Baço, que é o responsável pelos tecidos de sustentação no corpo. Assim os vasos têm paredes fracas e o sangue escapa com facilidade. Além do tratamento interno para a causa básica, a MTC preconiza o tratamento externo, pois considera que a doença se manifesta predominantemente na pele.

A pele é considerada o maior órgão do ser humano e constitui uma barreira mecânica de proteção ao corpo. Está sujeita a sofrer qualquer tipo de agressão que poderá prejudicar o funcionamento do corpo, como por exemplo, feridas. As feridas podem ser definidas como qualquer alteração da integridade anatômica da pele, resultante de qualquer tipo de trauma e acometem de forma geral a sociedade, independentemente da cor, idade, gênero, etc. Sua cicatrização é um processo fisiológico, cujo objetivo é reparar os tecidos agredidos.


Princípios da Acupuntura

Acupuntura, cultura milenar baseada na filosofia Taoísta e nela o universo e o ser humano estão submetidos às mesmas influências da natureza, sendo partes integrantes do universo como um todo.


Três pilares básicos:


1. Teoria do Yin e Yang,

2. Teoria dos Cinco Movimentos (Terra, Metal, Água, Madeira, Fogo) e

3. Teoria do Zang Fu (Órgãos e Vísceras).




A Acupuntura é uma técnica neuromoduladora, que visa equilibrar o corpo por meio de estímulos em pontos cujos alvos incluem ramos nervosos terminais sensoriais superficiais e profundos, visando a produção de mudanças funcionais nessas redes neurais. Com isso, a aplicação dessa terapêutica, apresenta repercussões locais e sistêmicas, possibilitando a restauração da normalidade fisiológica.


Conceito de saúde,

segundo a Medicina Tradicional Chinesa



O conceito Shen é talvez, um dos mais belos da Medicina Chinesa. Nele temos representados a parte mais subjetiva e dificilmente mensurável da natureza humana, os sentimentos. Um Shen equilibrado expressa a felicidade, a satisfação pessoal, intimamente ligado a saúde do corpo e a manifestação da beleza.


Na MTC, o equilíbrio é questão chave de saúde. Equilíbrio entre:

Repouso;

Exercício físico;

Dieta alimentar;

Atividades sexuais e

Clima.


Qualquer desarmonia contínua, pode se tornar uma causa patológica (doença/distúrbio).


Úlcera, segundo a Medicina Tradicional Chinesa

A MTC tem sua própria concepção da pele, como composta de diferentes camadas sendo elas:

Camada superficial da pele (Fu)- Epiderme.

Influenciada pelo pulmão (Fei)

Camada profunda da pele (Ge) – Derme.

Influenciada pelo pulmão (Fei), Fígado (Gan) e Rim (Shen)

Músculos subcutâneos (Ji).

Influenciada pelo Baço (Pi) e pelo Fígado (Gan)

Gorduras e músculos (Fen Rou).

Gordura, influenciada pelo Baço (Pi), Rim (Shen) e (Vaso Concepção); Músculos, influenciado pelo Baço (Pi) e Fígado (Gan)

Espaço entre a pele e os músculos (Cou Li)

Influenciado pelo Baço (Pi) e Pulmão (Fei)

Poros da pele, incluindo glândulas sebáceas (Xuan Fu).

Influenciado pelo Baço (Pi) e Pulmão (Fei)



Relação da Pele com os órgãos internos

Os Pulmões são conectados com a pele e controlam a abertura e o fechamento dos poros e esta função está relacionada com a difusão feita pelo Pulmão, do Qi Defensivo até a pele. Os poros têm a função de exonerar o Qi túrbido e o suor.


O Qi Defensivo, é por tanto a abertura e fechamento dos poros realizados pelo Pulmão, é uma manifestação da função protetora do Qi defensivo contra a invasão de fatores patogênicos.


Quando o Qi Defensivo é adequadamente regulado, os poros se fecham quando expostos a um fator patogênico e se abrem apropriadamente durante exercícios ou exposição ao tempo quente.


A fraqueza do Qi do Pulmão e do Qi Defensivo pode levar a flacidez dos poros, fazendo estes ficarem muito abertos e isto facilita a invasão de fatores patogênicos. Na patologia a fraqueza do Qi do Pulmão e, portanto, do Qi Defensivo no espaço entre a pele e os músculos, causam lesões agudas decorrentes da invasão de Vento Externo.


O Estômago (Wei) e o Baço produzem Qi e sangue e a parte túrbica do Qi forma o Qi Defensivo, enquanto a parte pura forma o Qi Nutritivo. Os fluidos do Estômago também chegam até a pele pela difusão do Qi do Pulmão, umedecendo-a.

O Estômago é uma das origens dos fluidos corporais, uma parte deles vai até o Pulmão e a outra vai até o Rim.


O Yang do Rim aquece os fluidos corporais originados no Estômago, a parte túrbica é excretada na forma de urina e a parte pura vai para a pele através do Triplo Aquecedor (San Jiao) e o Canal da Bexiga (Pangguang) no dorso, o Baço também controla os músculos imediatamente abaixo da pele, bem como o tecido adiposo aí localizado.


Na patologia uma deficiência do Baço pode afetar as estruturas e causar lesões. A Umidade resultante de uma deficiência do Baço é causa de muitas lesões cutâneas. A incapacidade do Qi do Baço em conter o sangue nos Vasos pode provocar sangramento sob a pele.


O Qi Defensivo origina-se do Aquecedor Inferior e do Rim. O Qi Defensivo é Yang por natureza, portanto, é influenciado pelo Yang do Rim e pelo Fogo do Portão da Vida (Ming Men). O Rim também distribui o Qi Defensivo para todos os outros Canais e parte do corpo com ajuda do Triplo Aquecedor e o Canal da Bexiga. Portanto, quando o Rim está deficiente, o Qi Defensivo também pode ficar deficiente, essa deficiência na pele dá origem a lesões cutâneas.


O Fígado influencia a pele por meio do sangue do Fígado. A semelhança do Yin do Rim, o Sangue do Fígado umedece e nutre a pele e uma Deficiência de sangue do Fígado é uma causa comum de pele seca especialmente em mulheres. O Fogo do Fígado, por outro lado, tem efeito aquecedor sobre a pele e é o padrão de base de muitas doenças cutâneas.


O Coração (Xin) influencia a pele de forma semelhante à do Fígado. O Sangue do Coração umedece e nutre a pele assim como o Sangue do Fígado. A semelhança do Sangue do Coração nas lesões cutâneas, entretanto, é observada especialmente na face.



Classificação das alterações dermatológicas

na visão da MTC


São classificadas dentre as situações de excesso ou de vazio e cada quadro clínico tem os seus sinais e sintomas relacionados.


• Situações de Excesso temos as alterações dermatológicas devido à invasão de energias perversas como: Vento, Calor, Calor Tóxico com Estase de Sangue, Calor e Umidade associado à Estase de Sangue.

• Situações de Deficiência, estas são devidas a Vazio de Sangue, Vazio de Qi, Vazio de Qi e Sangue associados, Vazio de Yang com bloqueio de Qi, Vazio de Fígado e de Rim, bloqueio de Qi do Fígado.


Sinais e sintomas:

Lesões na pele devido a ataque de Vento: o paciente sente prurido, apresenta pequenas pápulas e eritema. A doença ataca a pele, por desarmonia entre a Energia Rong e a Energia Wei e isso vai provocar prurido e vermelhidão na pele.

  • Se há Calor, o paciente sente sensação de queimadura, muito prurido e os sintomas agravam-se com o calor, a língua apresenta-se vermelha, com saburra amarelo claro e o pulso apresenta-se superficial e rápido.

  • Se há Frio, as lesões na pele pioram com o frio e normalmente estas lesões são menos avermelhadas, a língua apresenta-se pálida, fina, saburra branca. o pulso apresenta-se flutuante.


Lesões devido a Calor Tóxico com Estase de Sangue: verifica-se um ataque de Calor mais intenso juntamente com Mucosidade, resultando em vermelhidão, prurido e lesão da pele muitas vezes com infecção. Há ainda a sensação de queimação ao longo da lesão. Esta sintomatologia pode complicar com aversão ao Frio, febre e sensação de desconforto em todo corpo. A língua apresenta-se vermelha, com saburra amarela e pegajosa, o pulso apresenta-se tenso, em corda, rápido ou deslizante e rápido.


Lesões na pele devido a Calor associado à Umidade: pode apresentar pontos vermelhos, dor e sensação de queimadura, pruridos, exsudato amarelo na ferida. A ferida fica mais profunda. Quando o Calor e a Umidade aparecem juntos, ficam retidos na pele e não se consegue dispersar provocando Estase de Ying Qi e Wei Qi. A língua apresenta-se vermelha, com saburra amarela e pegajosa. O pulso apresenta-se deslizante e rápido.


Lesões na pele devido a Estase de Sangue: apresentam manchas tipo púrpuras, edema, sensação de distensão, úlcera com dificuldade de cicatrizar, pele com coloração vermelho escura. A língua apresente-se vermelho claro, com pontos vermelho púrpuro, saburra branca e fina. O pulso apresenta-se em corda e afundado. De fato, a Estase de Sangue bloqueia os Canais e o Sangue não consegue circular nos vasos e extravasa. Se a Estagnação de Qi e de Sangue permanecem na pele, resultam na formação de uma massa e a Estagnação de Sangue nos Canais, impede que o Qi e o Sangue cheguem à pele.


Interessante saber:

Na Medicina Chinesa há distinção entre dois tipos de Úlceras:


  • Úlceras Yang com bordas que se projetam de forma nítida, claramente definida e com formato de uma bacia; são predominantemente causadas por condições de plenitude e tem melhor prognóstico que as Úlceras Yin

  • Úlceras Yin não têm bordas protraídas, são mais rasas, suas bordas não são claramente definidas e há mais exsudação; se caracterizam por uma combinação de Deficiência e Excesso.

Os principais padrões que dão origem às Úlceras são o acúmulo de Umidade Calor, Deficiência de Qi do Baço com Umidade, Estagnação de Qi, Estase de Sangue, Deficiência do Yin do Fígado e do Rim.

  • Úlceras causadas por Umidade Calor são caracterizadas por bordas endurecidas e arredondadas e exsudação de um fluído espesso e amarelado.

  • Úlceras por deficiência de Qi do Baço com Umidade caracterizam-se por um tecido branco acinzentado em seu interior e exsudação de um fluído claro.

  • Úlceras por Estagnação de Qi e Estase de Sangue, caracterizam-se pela tumeficação da pele circundante com coloração arroxeada, dor e varicosidades.

  • Úlceras por Deficiência de Yin do Fígado e do Rim, caracterizam-se pela pele circundante de coloração vermelho escuro e ausência de dor.



A Acupuntura


Consiste na inserção de agulhas filiformes, em determinados pontos ao longo dos meridianos, com base nos sintomas apresentados pelo paciente e pela etiologia da doença, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio entre o Yin e Yang, entre o Qi e Xue.


A Acupuntura altera a circulação sanguínea. A partir da estimulação de certos pontos, pode-se alternar a dinâmica da circulação regional proveniente de micro dilatações, promovendo o relaxamento muscular, sanando o espasmo, diminuindo a inflamação, a dor e o fechamento da ferida.


A sequência dos pontos utilizados no tratamento tem um ciclo com início no 1º ponto e fechamento no 16º ponto na mesma sequência de punturação. A importância de seguir a sequência de punturação segue o raciocínio da circulação de energia dentro dos Canais que tem um início e um fim, sendo assim, o caminho que o Qi percorre, sempre é um ciclo.


Assim, segue-se o curso do Qi dentro de um ciclo pré-estabelecido na Acupuntura. O Qi corre por determinados pontos “acendendo a luz” criando uma corrente única para um determinado fim, a cura e equilíbrio do sistema orgânico.




Esse conteúdo foi desenvolvido para proporcionar conhecimento científico dos assuntos tratados: úlcera crônica e acupuntura.


Em caso de doença procure auxílio médico.


Precisando de serviços de Acupuntura, Fisioterapia, Pilates e Terapias Holísticas, você encontra aqui: www.espacochi.com





Bibliografia:

https://pebmed.com.br/ulcera-venosa-abordagem-do-enfermeiro-no-cuidado-ao-paciente/

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0365-05962006000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

https://www.scielo.br/pdf/abd/v81n6/v81n06a02

https://ebramec.edu.br/wp-content/uploads/2019/03/ACUPUNTURA-NO-TRATAMENTO-DE-%C3%9ALCERA-VARICOSA.pdf

https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/ulceras-venosas-revisao-literatura.pdf

www.cetn.com.br/imprensa/eficacia-da-acupuntura-na-cicatrizacao-de-ulcera-venosa-estudo-de-caso/20130430-102507-i285

Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • Twitter Social Icon
Recent Posts